11/05/2015

Visita

O amor esteve prestes a entrar
Estava na calçada
Fumando plaza
E eu o via de soslaio pela janela da sala
Chegou a procurar as chaves
Tentou destrancar o portão
(E esse cadeado que mantenho sempre seguro)
Não havendo possibilidade o amor esperou
Por cinco minutos - não bateu: segurava um cigarro e um livro do Neruda
Depois vi o amor descer a rua
Começava a esfriar
Não sei se virou a esquina
Ou se alojou em algum boteco
Mas foi-se embora das minhas vistas
E perdi a chance de o cumprimentar

Sozinho em casa
Sentei-me no sofá
Aguardei a correspondência
E adormeci com a triste memória
De sua feição.

Um comentário: