03/04/2015

Roma Minha

Você, minha Roma,
por onde passeio
tuas praças, colunas,
jônicos seios,
teu panteão
que abriga tua
deidade, desejo e potência,
e essa tua cabeça,
teu coliseu,
em que degladiam os sentimentos,
caminho, déspota e amante,
no louco império
do teu corpo
e encontro, madona,
teus arquedutos, tuas vias
e me perco:

Sou o que sou:

Um Nero a te incendiar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário